INCAPACIDADES INTELECTUAIS

Sobre a Incapacidade Intelectual

A incapacidade intelectual (Perturbação do Desenvolvimento Intelectual) é uma perturbação no período de desenvolvimento caracterizada por défices nas capacidades mentais gerais (raciocínio, resolução de problemas, planeamento, pensamento abstrato, discernimento, aprendizagem académica e aprendizagem pela experiência). A prevalência mundial varia de 1% a 3% com etiologia heterogênea. No período pré-natal incluem-se as síndromes genéticas, erros congénitos do metabolismo, malformações cerebrais, doença materna e influências ambientais (álcool, toxinas, etc.), no período perinatal considera-se uma etiologia relacionada com eventos do trabalho de parto e no período pós-natal, as lesões isquémicas hipóxicas, lesões cerebrais traumáticas, infeções, perturbações convulsivas, etc.

As características essenciais são os défices nas capacidades mentais gerais e prejuízo do funcionamento adaptativo diário em comparação com os pares da mesma idade. Após a primeira infância, a perturbação é em geral vitalícia, embora os graus de gravidade possam variar ao longo do tempo. Intervenções precoces e contínuas podem melhorar o funcionamento adaptativo ao longo da infância e da idade adulta. Nalguns casos isso resulta em melhorias significativas do funcionamento intelectual, por isso, é prática comum, ao avaliar crianças muito jovens, o adiamento do diagnóstico de incapacidade intelectual para depois de ser proporcionado um curso de intervenção apropriado. Para crianças mais velhas e adultos, a extensão de suporte providenciado pode permitir a participação completa em todas as atividades da vida diária e um funcionamento adaptativo melhorado.

Nas avaliações diagnósticas tem-se de determinar se a melhoria das capacidades adaptativas são resultado de uma aquisição estável, generalizada, de novas capacidades, ou se é uma contingência da presença de suportes e intervenções contínuas. Muitos indivíduos com incapacidades intelectuais, particularmente aqueles de gravidade leve ou moderada, são capazes de viver de forma independente e de contribuir para a sua comunidade, são frequentemente capazes de atingir alguma autossuficiência e de levar uma vida feliz e gratificante. Já os indivíduos com incapacidades intelectuais graves geralmente não são capazes de viver de forma independente.

Podemos associar aqui o Atraso Global do Desenvolvimento (AGD) como diagnóstico isolado e reservado para as idades inferiores aos 5 anos, quando o nível de gravidade clínica não pode ser avaliado com segurança durante a primeira infância. Esta categoria é diagnosticada quando falha o cumprimento dos marcos do desenvolvimento esperados em várias áreas do funcionamento intelectual e aplica-se a crianças que são incapazes de se submeter a avaliações sistemáticas do funcionamento intelectual, incluindo crianças que são demasiado novas para cooperar em testes estandardizados. O diagnóstico de AGD requer reavaliação após um certo período de tempo (APA/DSM-V).

Publicações

Em Construção

Recursos

Em Construção