Perturbação de hiperatividade/ Défice de Atenção

Sobre a PHDA

A PHDA é caracterizada, segundo a DSM-V (APA, 2014), como um padrão persistente de desatenção e/ou hiperatividade – impulsividade que interfere no funcionamento ou no desenvolvimento do indivíduo.

As manifestações da perturbação têm de estar presentes em mais de um contexto que a criança frequente (APA, 2014).

A etiologia da PHDA é de natureza multifatorial. Apontam-se como possíveis causas disfunções neurológicas assim como fatores genéticos e hereditários para a sua ocorrência. A PHDA é uma perturbação cuja origem se relaciona com problemas neuroquímicos, anátomofisiológicos e neuroanatómicos.

Existem três tipos de PHDA, de acordo com as características presentes nas crianças:

- Predominantemente desatentos, quando apresentam muitos sintomas de desatenção e raros ou talvez nenhum sintoma de hiperatividade e impulsividade.

- Predominantemente hiperativos/impulsivos, apresentando múltiplos sintomas de hiperatividade e impulsividade e raros ou talvez ausência de sintomas de desatenção.

- Predominantemente combinado, se podemos observar nas crianças diversos sintomas de desatenção, impulsividade e de desatenção.

As características que devemos ter em conta, em cada tipo de PHDA, são as seguintes:

Desatenção:

  • Dificuldades em prestar atenção a detalhes ou errar por descuidos em atividades escolares profissionais;
  • Não conseguem prestar suficiente atenção aos detalhes;
  • Parecem não escutar quando se lhes dirige a palavra;
  • Dificuldades em organizar tarefas e atividades;
  • São facilmente distraídos por estímulos alheios;
  • Perdem materiais e esquecem as coisas com facilidade.

Impulsividade:

  • frequentemente dão respostas precipitadas antes das perguntas terem sido concluídas;
  • apresentam constante dificuldade em esperar a sua vez;
  • frequentemente interrompem ou interferem em assuntos de outras pessoas.

Hiperatividade:

  • agitar as mãos, os pés ou mexer na cadeira;
  • correr ou escalar em demasia em situações nas quais isto é inapropriado;
  • falar em demasia;
  • dificuldade em brincar ou envolver-se silenciosamente em atividades de lazer;
  • estar frequentemente “a mil” ou muitas vezes agir como se estivesse “a todo vapor”.

A prevalência de PHDA é, na maioria das culturas, é de cerca de 5% nas crianças e de 2,5% nos adultos. O diagnóstico de PHDA é mais frequente no sexo masculino do que no feminino com uma proporção aproximada de 2:1 nas crianças e de 1,6:1 nos adultos. Segundo Neto (2014) a prevalência de casos de hiperatividade é maior em crianças do sexo masculino e os casos de desatenção são mais frequentes em crianças do sexo feminino.

Alguns sinais de alerta que as crianças com Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção podem apresentar são:

  • Falta de atenção e concentração;
  • Perturbações de aprendizagem específicas;
  • Problemas de comportamento;
  • Falta de maturidade;
  • Problemas emocionais (impulsividade, irritabilidade, ansiedade, dificuldade no relacionamento entre pares);
  • Fraca coordenação motora;
  • Baixa autoestima;
  • Baixa tolerância à frustração.
Publicações

Em Construção

Recursos

Em Construção